Fale com clareza: perspectivas sobre a psoríase

Fui diagnosticada com psoríase há mais de 28 anos, quando tinha apenas cinco anos de idade. Naquele período, quem cuidou de meu tratamento foi minha mãe. Em um mundo sem internet ou Google, ela tinha apenas as recomendações dos médicos e os conselhos de conhecidos. Felizmente, com a evolução do mundo, hoje temos acesso a muitos recursos. Mas isso também traz problemas: nem toda informação é correta e sempre haverá pessoas vendendo a ‘cura’ tão desejada, mas inexistente.

Simplesmente por viver com a condição por tanto tempo e prestando atenção a certos padrões, percebi que o estilo de vida e os fatores ambientais podem desempenhar um papel importante nesta condição. Embora a psoríase de cada pessoa responda e reaja às coisas de formas diferentes, vale a pena dedicar algum tempo examinando o impacto dos fatores externos. Isso pode ajudar você e seu médico a terem um melhor entendimento de sua psoríase.

Isso pode parecer um processo de tentativa e erro e, como a maioria das coisas, requer tempo e paciência. Realizar muitas mudanças de uma vez só pode fazer com que você se sinta sobrecarregado e aumentar o estresse, então é melhor fazer mudanças pequenas e significativas -  escolha mudar uma coisa de cada vez ou tente, experimente, avalie, decida se vale a pena para você e assim que isso fizer parte de seus hábitos diários, enfoque no passo seguinte.

Aqui estão algumas áreas que acredito valer a pena explorar:

1.     Sono
Como alguém que se sente frequentemente estressada e sobrecarregada, sempre busquei coisas que me ajudassem a aliviar esses sentimentos. Quantas vezes me falaram que eu precisava dormir, mas simplesmente não dei ouvidos. Foi somente após ter um filho e o sono ter se tornado um luxo inalcançável, que percebi o impacto do sono na minha psoríase. Ao definir e seguir um horário estrito para ir dormir, consegui priorizar 8 horas de sono (quase) ininterruptas e realmente passei a entender o poder curativo do sono. Tem dificuldades para dormir? Evite usar tecnologia no seu quarto, desligue o telefone uma hora antes de dormir, tome um banho relaxante ou pratique meditação.

2.    Nutrição
Ouvi de várias pessoas que determinados alimentos podem desencadear crises. Ouvi, por exemplo, que tomates causam crises, mas eu amo tomates! Sempre tenho alguma forma de tomate em todas as minhas refeições. Ao examinar minha dieta e eliminar os alimentos que poderiam estar desencadeando minha psoríase, mantive um diário alimentar para identificar os principais culpados. Após algum tempo, percebi que os tomates não causavam crises como em outras pessoas (ainda bem!). Preste atenção ao seu corpo, porém, sempre tente cozinhar alimentos frescos, limite ou evite a ingestão diária de alimentos processados e açúcar refinado.

3.     Rotina de cuidados com a pele
Sempre fico impressionada em perceber como o clima, o tipo de roupa, a forma de sentar-se e muitas outras coisas podem irritar ou deixar a pele seca. Assim como sua dieta, é preciso alguns erros e acertos para descobrir quais produtos de higiene pessoal podem ajudar sua pele. O ciclo pode parecer não ter fim. Mas vale a pena. No meu caso, descobri que hidratante sem fragrância é essencial, sempre carrego um frasco pequeno de hidratante na bolsa para aplicar várias vezes ao longo do dia.

4.     Exercícios
Isso não necessariamente significa que você precisa entrar para uma academia ou inscrever-se na natação. Se esses lugares podem ser assustadores nos melhores momentos, imagine durante uma crise! Contudo, manter-se ativo é muito importante para seu corpo e mente, independentemente de ter psoríase ou não. Encontre uma atividade que funcione para você e incorpore-a em seu cotidiano. Lembre-se que não precisa ser algo público. Eu pessoalmente prefiro fazer yoga em casa, assistir aulas pelo YouTube, aplicando um pouco do meu hidratante favorito em quaisquer placas doloridas e gastando tempo alongando meu corpo e usando técnicas de respiração para me livrar do estresse diário.

5.     Sistema de apoio

Uma frase bem conhecida no meu país diz: “problema compartilhado é problema dividido pela metade”. Descobri que isso é realmente verdade ao lidar com os dias mais difíceis. Existem vários lugares para se obter apoio e várias pessoas usam as mídias sociais (ou este site) para compartilhar os altos e baixos de viver com essa doença. Ouvir outras pessoas pode ajudar a empoderar todos que vivem com psoríase a se sentirem confortáveis em suas próprias peles. Se ou quando se sentir confortável para compartilhar, junte-se a nós e compartilhe sua história aqui no Além da Psoríase.

Seja claro com seu médico

Você deseja ficar confiante com sua pele, mas como conversar claramente com seu médico? Às vezes se expressar pode ser a parte mais difícil. 

Veja as dicas

A sua voz faz diferença

Defina seus objetivos claramente. A capacidade de se expressar, ser confiante e exigir o melhor cuidado está dentro de você. Compartilhar a sua história pode ser o próximo passo para se sentir livre da psoríase – e até inspirar outros a fazerem o mesmo.

Envie a sua história

Artigos Relacionados